domingo, 14 de Junho de 2009

O desenvolvimento do jovem adulto

O desenvolvimento de um jovem adulto é influenciado por muitos acontecimentos vivenciados desde a infância até à adolescência. No começo da fase do jovem adulto importantes decisões são tomadas, principalmente sociais e emocionais. Para Levinson e Erikson aos 22 anos o ser humano adquire maior autonomia em relação aos seus pais e entra numa fase de estabilidade, através de um relacionamento afectivo, perspectivado no seu próprio núcleo familiar. Por volta dos 28 anos de idade o jovem adulto entra na fase de transição onde analisa o seu padrão de vida fazendo escolhas pessoais e profissionais. Aos 33 anos é atingido um novo período de estabilidade, o jovem adulto focaliza a sua atenção no desenvolvimento das suas capacidades profissionais aplicando a sua experiência. No meu percurso do desenvolvimento como jovem adulta, enquadro-me na perspectiva teórica de Levinson, porque passei de uma fase de estabilidade aos 21 anos para uma de transição aos 26 anos e atingi um novo período de estabilidade aos 31 anos, ou seja, comecei a namorar aos 21 e casei aos 25, senti-me estável emocionalmente, aos 26 analisei a minha vida e passei pela fase de transição, onde optei por ser mãe, agora com 31 anos aposto continuamente na minha carreira profissional, é uma aposta baseada na minha experiencia profissional actua, mas com o objectivo de alargar os horizontes do conhecimento e para subir de carreira, porque é o que me proporciona uma estabilidade psicológica. A esfera profissional nos últimos anos adquiriu muita relevância, os jovens pensam primeiro na realização profissional e estabilidade económica e depois na realização familiar, onde as mulheres são mães entre os 35 e 40 anos de idade, (já no inicio da menopausa). No meu caso fugi à regra actual, porque vivi numa ambiente familiar em que a família sempre esteve em primeiro lugar e tudo o resto se consegue realizar na mesma, todos temos um “timming” diferente para a realização das nossas tarefas. Acredito que a aprendizagem ao longo da vida é toda a actividade de aprendizagem em qualquer momento da vida, com o objectivo de melhorar os conhecimentos, aptidões e competências, no quadro de uma perspectiva pessoal, cívica, social ou relacionada com o emprego. Apostei sempre na formação formal teórica e aposto agora no ensino superior, é mais uma mudança relacionada com as circunstâncias da vida, numa sociedade do conhecimento, ou talvez como afirma Erickon, confrontei-me com a crise generatividade v estagnação, estou a passar por uma aprendizagem significante, onde o que aprendo é pertinente para mim, pois é uma aprendizagem intencional, motivada, onde os conhecimentos adquiridos vão permitir uma maior evolução, no meu ciclo de vida.

3 comentários:

  1. Você se baseu em que fonte? Livro, revista cientifica?

    ResponderEliminar
  2. Adorei seu blog. Bom estou estudando fisioterapia mas estou fazendo um seminario do desenvolvimento adulto na psicologia. E oque voce falou se encaixa perfeitamento no que eu estou estudando BY: Jessica/Araçatuba.

    ResponderEliminar
  3. Qual valor terá um texto sem fundamentação teórica?

    ResponderEliminar